Genética pode determinar menor necessidade de horas de sono

Redação Central, (EFE).- O fato de algumas pessoas dormirem pouco e acordarem bem dispostas no dia seguinte pode ter relação com aspectos genéticos, diz um artigo publicado pela revista Science segundo o qual algumas pessoas estão programadas geneticamente para precisar de menos horas de sono.

EFE |

Um grupo de cientistas identificou uma mutação genética que parece ser, "pelo menos em parte", responsável por levar certas pessoas a dormirem menos.

A mutação genética em questão é "provavelmente rara", mas o estudo dá novas pistas para estudar os efeitos do sono na saúde humana.

Embora o sono seja um processo essencial para a vida, os circuitos cerebrais que regulam esta necessidade e os mecanismos celulares e moleculares envolvidos neste "complexo processo são ainda bastante enigmáticos".

O estudo começou com uma família na qual mãe e filha dormem seis horas por dia, enquanto o restante dormia pelo menos oito. Depois, a pesquisa foi feita com ratos geneticamente modificados.

Os pesquisadores sequenciaram vários genes e descobriram que uma variante do gene DEC2 era compartilhada pela mãe e pela filha, mas não pelo resto da família.

Este gene, segundo o estudo, bloqueia a expressão de alguns outros genes, e já tinha sido relacionado com a regulação de processos que ocorrem a cada 24 horas em seres humanos.

Os pesquisadores então compararam os ciclos de sono e a atividade cerebral de ratos modificados, que não só dormiram menos, assim como precisaram de menos tempo para se recuperar de um período sem dormir. EFE cr/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG