Assunção, 9 nov (EFE) - O general reformado Lino Oviedo, líder do Partido União Nacional de Cidadãos Éticos (Unace), terceiro maior do país e um dos principais da oposição, disse hoje que não se reuniu com o vice-presidente, Federico Franco, para tramar uma conspiração contra o presidente Fernando Lugo.

José Ledesma, governador de San Pedro, centro do país, e próximo a Lugo, disse no sábado que o presidente não confia no vice desde que foi informado de que ele teria se reunido com Oviedo e com o senador Juan Carlos Galaverna, do principal partido opositor, o Partido Colorado, após as eleições de 20 de abril.

Em declarações à rádio "Ñandutí", Oviedo qualificou as afirmações de Ledesma de "falácias" e disse que o que Lugo e Franco têm que fazer "é trabalhar juntos, se juntos se comprometeram na campanha política".

"Ele (Lugo) começou a perder a confiança (em Franco) quando recebeu a informação de que Federico tinha participado de uma reunião com Oviedo" e pessoas leais ao ex-presidente Nicanor Duarte "para tirá-lo da Presidência", afirmou Ledesma.

O vice-presidente pertence ao tradicional Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA, centro-direita e suporte político de Lugo no Congresso), da mesma forma que Ledesma.

Oviedo disse que "o que este governador tem que fazer é cumprir a campanha política que prometeu, mas a única coisa que faz é injuriar, gerar mentiras", e acrescentou que Lugo e Ledesma "são do mesmo chiqueiro".

"Ele (Lugo) tem que" se preocupar em "governar o país" e não com "bate-boca", disse Oviedo, ao lembrar que já o envolveram em outro suposto plano para desestabilizar o Governo que pôs fim a 61 anos de hegemonia do Partido Colorado no poder.

Em 1º de setembro, quando estava há apenas duas semanas no poder, o chefe de Estado denunciou uma suposta conspiração na qual envolveu Oviedo e seu antecessor, Nicanor Duarte, a partir do testemunho da ligação das Forças Armadas com o Congresso.

No entanto, tanto Oviedo quanto Duarte disseram então que Lugo "foi mal informado" pelos dirigentes de seu entorno.EFE lb/ab/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.