General iraniano propõe cortar petróleo a quem apoiar Israel

Teerã, 4 jan (EFE).- O general iraniano Mirfeysal Bagherzadeh sugeriu hoje que os países muçulmanos cortem o fornecimento de petróleo aos países que apóiam Israel, em represália pelos ataque contra a Faixa de Gaza e prometeu uma tsunami anti-sionista.

EFE |

Bagherzadeh é o diretor da Fundação para a Conservação e a Difusão dos Valores da Defesa Santa (a guerra entre Irã e Iraque de 1980-1988). Suas declarações foram reproduzidas pelas agências de notícias iranianas.

"O petróleo pode servir como um fator potente para pressionar os Estados Unidos e os países europeus que apóiam o regime sionista", afirmou o chefe militar iraniano.

Ele acrescentou que a decisão de cortar o petróleo a essas nações "pode ser uma das táticas do mundo islâmico para apoiar os inocentes palestinos (sem especificar se falava apenas da população civil ou se incluía os integrantes do Hamas)" na "guerra desigual" de Gaza.

O Irã é o segundo maior produtor entre os países-membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), depois da Arábia Saudita.

Bargherzadeh também assinalou, sem dar detalhes, que o Irã está buscando na Organização da Conferência Islâmica a criação de um Exército islâmico "para defender os oprimidos" e disse que está surgindo um "tsunami anti-sionista", em alusão às manifestações que originou o ataque israelense à Faixa de Gaza. EFE msh/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG