General dos EUA prevê fracasso no Afeganistão se não houver reforço

A missão dos Estados Unidos no Afeganistão deve terminar em fracasso se não houver reforço das tropas dentro de um ano, segundo o principal comandante americano no país, general Stanley McChrystal, em um relatório confidencial obtido pelo jornal Washington Post e divulgado nesta segunda-feira.

BBC Brasil |

"Falhar em ganhar iniciativa e reverter o momento insurgente em um futuro próximo (os próximos 12 meses). .. pode levar a um resultado no qual derrotar a insurgência não será mais possível", diz McChrystal no documento.

De acordo com o Washington Post, o relatório foi apresentado ao Secretário de Defesa americano, Robert Gates.

Ainda segundo o jornal, o general afirma que "a falta de recursos adequados também aumenta o risco de um conflito mais longo, com mais vítimas, mais custos e uma perda grave de apoio político."

Nas próximas semanas, McChrystal pede ainda mais dezenas de milhares de soldados extras e o aceleramento do treinamento das tropas afegãs, o que, de acordo com ele, poderia ser usado para "dar segurança ao povo afegão e a criar um espaço para que a boa governança crie suas raízes".

Aumento de tropas

Recentemente, o general já havia pedido uma revisão da estratégia dos Estados Unidos no Afeganistão, sugerindo que a atual não funciona.

Neste relatório, ele critica as forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que estão sob seu comando, por se concentrarem mais em combater os insurgentes do que em proteger civis afegãos.

"Preocupados com a proteção de nossos próprios soldados, temos operado de uma maneira que nos distancia - física e psicologicamente - das pessoas que havíamos decidido proteger", afirma.

Mais de 30 mil soldados americanos foram enviados ao país desde maio, quase dobrando o contingente que havia até então. Até o fim do ano, o número de tropas americanas no Afeganistão deve chegar a 68 mil.

O ano de 2009 já é o que registrou maior número de soldados estrangeiros mortos no Afeganistão desde a queda do Taleban, em 2001.

Até agosto, 295 soldados estrangeiros foram mortos neste ano no Afeganistão.

Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistãoeuaotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG