Um alto-comandante da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), o general americano John Craddock, descreveu nesta segunda-feira os esforços de tropas ocidentais no Afeganistão como desarticulados e afirmou que a guerra não poderá ser vencida apenas pelos meios militares. Falando em Londres, Craddock também afirmou que a vontade política no combate ao Talebã está inconstante.

O general também sugeriu que os aliados da Otan estão falhando em mandar tropas suficientes para o país para combater a insurgência.

Ele declarou que mais forças de segurança devem ser usadas para permitir que o governo afegão e seus aliados possam atuar de maneira satisfatória.

As declarações de Craddock chegam em um momento em que outros comandantes militares têm mostrado preocupação com a situação no Afeganistão.

Durante o discurso no Royal United Services Institute, um centro de estudos sobre ações militares em Londres, o general citou diversas dificuldades encontradas pelas tropas no país.

Ele ainda afirmou que os esforços militares não estão sendo apoiados o suficiente por ações no lado civil. Segundo ele, as forças da Otan podem assegurar a defesa do país, mas que outras ações devem auxiliar na construção de uma sociedade civil no Afeganistão.

Vitória em vão

Os comentários de Craddock ecoam as críticas feitas no início do mês pelo general-de-brigada britânico Mark Carleton-Smith, o comandante das forças britânicas na província de Helmand.

"O conflito no Afeganistão não pode ser vencido apenas pelos meios militares. Nós somos apenas membros de um time maior", disse Craddock.

"Os militares devem promover um ambiente seguro, mas precisamos nos juntar para termos uma abordagem mais ampla. Os esforços atuais estão descoordenados no tempo e no espaço".

Ele também afirmou que as autoridades afegãs precisam fazer mais para combater a corrupção e promover um sistema de justiça e de polícia efetivos, pois sem isso, segundo ele, "qualquer vitória militar será em vão".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.