General americano diz que Irã e Síria podem causar corrida armamentista

Washington, 22 mai (EFE) - O general David Petraeus, chefe de operações dos Estados Unidos no Iraque, afirmou hoje perante o Senado americano que a falta de transparência do Irã e da Síria sobre seus programas nucleares poderia gerar uma corrida armamentista desestabilizadora na região. A proliferação nuclear, além disso, cria temores sobre a aquisição de artefatos nucleares por parte de grupos terroristas transnacionais, advertiu Petraeus durante uma audiência que confirmou-o à frente do Comando Conjunto Central, que abrange 27 países desde o leste da África Oriental até o Afeganistão. Ao início da audiência no Comitê das Forças Armadas do Senado, Petraeus disse que as principais ameaças na região são a presença da Al Qaeda, a proliferação de armas de destruição em massa, e a falta de transparência nos esforços de países como Irã e Síria para o desenvolvimento de programas nucleares. Assim, Petraeus considerou que os Estados Unidos devem persuadir a Síria de que uma corrida armamentista na região, o apoio a terroristas e uma desestabilização no Líbano não trazem quaisquer benefícios ao país. O Governo de Damasco negou a existência de instalações nucleares. Petraeus expressou confiança em que as negociações de paz entre Israel e Síria contribuam para reduzir as tensões na região. Por outra parte, o general disse que a falta de desenvolvimento econômico sustentável em vários países da região também têm o potencial de se convertê-los em criadou...

EFE |

EFE mp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG