Berlim, 18 mar (EFE).- A ordem de detenção contra dois dos supostos assaltantes da loja de departamentos alemã Kaufhaus Des Westens (KaDeWe), onde houve um roubo milionário de joias e relógios, foi suspensa hoje porque os suspeitos são gêmeos e a Polícia não conseguiu determinar qual deles é o culpado.

Segundo o jornal alemão "Tagesspiegel", sabe-se com toda certeza que as amostras de DNA encontradas correspondem a um dos dois irmãos, mas não é possível provar qual deles é culpado, porque os dois têm o mesmo material genético.

Os dois homens, de 27 anos, foram detidos no dia 11 de fevereiro deste ano na pequena localidade de Rotenburg (norte da Alemanha) como suspeitos de terem assaltado a loja KaDeWe.

O roubo ocorreu em 25 de janeiro, um domingo no qual a KaDeWe estava fechada, quando pelo menos três ladrões mascarados invadiram a loja usando uma escada para chegar ao primeiro piso, onde forçaram uma janela e conseguiram entrar.

Os supostos assaltantes se dirigiram à filial da cadeia de joalherias Christ no andar térreo, de onde levaram relógios caros e joias avaliadas em milhões de euros.

O roubo foi gravado pelas câmaras de vídeo e, dado que os alarmes não tocaram quando o edifício foi invadido, há a hipótese de que um dos ladrões poderia conhecer os sistemas de segurança.

A Christ ofereceu uma recompensa no valor de 10% das joias que forem recuperadas ou uma gratificação máxima de 100 mil euros.

A Polícia chegou até os dois irmãos gêmeos graças a uma pista oferecida pela população.

A Procuradoria não quis falar sobre o assunto hoje. EFE pb/bba/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.