GB: talibãs não representam ameaça estratégica no Afeganistão

Os talibãs não representam uma ameaça estratégica para o governo afegão em Cabul, apesar dos contínuos ataques das milícias islâmicas na região da capital, disse nesta quinta-feira à BBC o secretário britânico da Defesa, Des Browne.

AFP |

Browne admitiu que os talibãs são capazes de organizar grandes ataques em Cabul, mas descartou que sejam uma ameaça à estabilidade do país.

"Tem ocorrido um aumento dos ataques, mas são ações indiscriminadas, ataques individuais", disse Browne à BBC. "Em nenhum momento criaram ou representaram uma ameaça estratégica ao governo do Afeganistão".

Browne realizou tal declaração dias após a morte de 10 soldados franceses em uma emboscada dos talibãs na região de Cabul, na ação mais mortífera para as forças internacionais no Afeganistão desde a queda do regime talibã, em 2001.

"Não nego que os talibãs tenham capacidade para montar ataques desta natureza, mas sua capacidade de fazê-lo não é prova de que sejam uma ameaça estratégica". "Se nos fixarmos, por exemplo, na província de Helmand, onde, progressivamente, estamos impondo a segurança, a população (...) está sob o controle do governo afegão", concluiu Browne.

A Grã-Bretanha tem 8.500 soldados no Afeganistão, na Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) da Otan, a maior parte no sul da província de Helmand, centro da ação talibã.

psr/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG