GB faz apelo à China para evitar execução de britânico

O governo da Grã-Bretanha pediu nesta segunda-feira à China que faça o correto, em sua última tentativa de evitar a execução de um cidadão britânico acusado de tráfico de drogas.

AFP |

"Inclusive neste último momento espero que vejam que em um mundo moderno não é apropriado executar um homem com problemas mentais", disse o vice-ministro britânico das Relações Exteriores, Ivan Lewis.

Horas antes, o governo em Londres havia dito que faria o possível para impedir a execução na China do cidadão britânico que, segundo sua família, sofre de problemas mentais.

"O governo fez e continuará fazendo tudo ao seu alcance para obter um julgamento justo e clemência em relação ao veredicto de pena de morte para Akmal Shaikh", declarou um porta-voz do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown.

Shaikh, 53 anos, foi detido em 2007 em Xinjiang (nordeste da China) com quatro quilos de heroína. Sua condenação à morte foi confirmada no dia 21 de dezembro pela Corte Suprema. Segundo seus advogados, esta execução, se acontecer, será a primeira de um europeu na China em 50 anos.

afp/LR/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG