Gazprom pede que afetados por falta de gás processem Ucrânia

MOSCOU - A companhia russa Gazprom sugeriu hoje que os Estados balcânicos afetados pela aquisição ilegal de gás na Ucrânia levem aos tribunais o Governo de Kiev.

EFE |

"Os países balcânicos que se sintam afetados devem empregar os instrumentos jurídicos (...) para evitar um agravamento da situação", declarou em comunicado o vice-presidente da Gazprom, Aleksandr Medvedev.

Segundo ele, a Ucrânia "reconheceu cinicamente que rouba gás do gasoduto" através do qual a Rússia exporta combustível à Europa por território ucraniano, e ressaltou que os países balcânicos já registram irregularidades no abastecimento.

Medvedev destacou que a "Ucrânia não só assinou, mas também ratificou a Carta Energética, que explica claramente quais são as obrigações dos países".

"Nenhuma disputa nem discussões em torno do contrato para o trânsito de gás pode servir de pretexto para impedir o transporte do combustível", assinalou o empresário.

A Gazprom suspendeu em 1º de janeiro o bombeamento de gás à Ucrânia, embora tenha aumentado o fornecimento através do território ucraniano e bielo-russo, e acusou o Governo de Kiev de roubar dos gasodutos 21 milhões de metros cúbicos diários. EFE se/rr

    Leia tudo sobre: gazprom

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG