Gazprom pede mecanismo mais efetivo para garantir fornecimento de gás

Moscou/Kiev, 18 jan (EFE).- O porta-voz da gigante do gás russo Gazprom, Sergei Kuprianov, afirmou hoje que a Carta Energética não constitui uma garantia para os consumidores, e defendeu a criação de um novo mecanismo que seja mais efetivo.

EFE |

Em entrevista à emissora "Voz da Rússia", Kuprianov lembrou que este acordo internacional de 1994 que regula a cooperação entre o oeste e o leste da Europa em matéria energética "diz diretamente que nenhuma discussão sobre preços pode servir de pretexto para suspender o trânsito".

"Por isso, é evidente que o mecanismo da Carta Energética não constitui uma garantia para os consumidores e fornecedores de que o trânsito fique assegurado, nem é uma garantia para este tipo de provisões", acrescentou.

"É necessário refletir sobre a criação de um novo mecanismo, que seja mais efetivo e garanta verdadeiramente o trânsito sem obstáculos dos recursos energéticos", assinalou.

O conflito entre Rússia e Ucrânia explodiu no último dia 1º, quando a Gazprom cortou totalmente seus envios de gás a Kiev depois de não chegar a um acordo de tarifas para este ano com a estatal ucraniana Naftogaz. EFE egw/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG