Gays, prostitutas e drogados voltam a poder doar sangue na Rússia

Moscou, 23 mai (EFE).- O Ministério da Saúde russo suspendeu uma medida que, desde 2001, proibia homossexuais, prostitutas, drogados e idosos de 60 anos ou mais de doar sangue, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

A revogação do decreto foi assinada pela ministra Tatiana Gólikova e entrará em vigor dez dias após ser publicada na "Rossiiskaia Gazeta", o diário oficial do Governo.

"É uma vitória do projeto de defesa dos direitos humanos do 'GayRussia.ru', que durante dois anos lutou pela revisão da norma ditada pelo ministério", diz uma nota divulgada por esse site especializado.

Segundo os médicos, a emenda na lei que regula as doações de sangue não contém mudanças significativas nem obedece a uma queda nos estoques dos hospitais.

"Não há nenhuma crise. Simplesmente estamos adequando as leis à realidade de hoje. No decreto, não há grandes novidades nem mudanças radicais no processo de doação", disse o diretor do Instituto de Transfusões de Sangue, Vladimir Gorodetski, citado pelo jornal "Gazeta.ru".

O especialista explicou que o ponto da lei que mencionava os "homossexuais, drogados e prostitutas" foi substituído por um que estabelece que os doadores devem passar, obrigatoriamente, por uma avaliação médica.

Além disso, o doador de sangue terá que assinar uma declaração assumindo toda responsabilidade pelas informações repassadas aos médicos. EFE bsi/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG