O Segredo de Brokeback Mountain - Mundo - iG" /

Gays italianos denunciam censura a O Segredo de Brokeback Mountain

Roma, 9 dez (EFE) - Cenas de sexo entre os dois protagonistas masculinos do filme O Segredo de Brokeback Mountain, do diretor taiuanês Ang Lee, foram censuradas ao serem exibidas segunda-feira à noite pelo canal de televisão pública italiana RAI2.

EFE |

Este fato foi denunciado hoje pelas associações de homossexuais italianos, que pediram explicações aos dirigentes da "RAI2" pelos "episódios de censura" em um serviço público.

"Queremos saber quem decidiu exibir ontem (segunda-feira) à noite o filme 'O Segredo de Brokeback Mountain' com os cortes das cenas e quem pensou que um adulto não poderia suportar os beijos e os gestos de afeto entre dois homens", afirma em uma nota o presidente da organização Arcigay, Aurelio Mancuso.

O longa-metragem, protagonizado pelos atores Heath Ledger e Jake Gyllenhaal, conta a história de amor proibido entre dois vaqueiros que começa em 1963 e termina 20 anos depois.

O filme ganhou três Oscar -melhor diretor, melhor roteiro adaptado e melhor trilha sonora- na edição de 2006 e quatro Globos de Ouro.

A censura do filme era 14 anos, e, por isso, ele foi exibido às 22h45 de segunda-feira à noite (19h45 de Brasília).

A Associação de Direitos dos Consumidores mostrou em comunicado sua solidariedade para com a Arcigay por "uma censura indigna que ofende a arte cinematográfica, quem defende os direitos civis e os contribuintes que pagam os impostos que financiam a televisão pública".

O ex-deputado e presidente da associação Gaynet, Franco Grillini, exigiu que o canal de televisão estadual volte a exibir a versão integral do filme, que "foi brutalmente censurado, fazendo perder inclusive o sentido".

"É incrível que se queira transformar um filme que fala de um grande amor homossexual em uma simples amizade entre dois homens, porque este é o resultado dos cortes e diz muito sobre o atual clima homofóbico no país", denunciou Grillini.

Os responsáveis da "RAI" emitiram hoje um comunicado em resposta às queixas expressadas pelas diferentes associações de homossexuais, no qual alegam que foram "uma série de casualidades" que impediram a emissão íntegra da fita e que não houve "censura".

Além disso, a nota expressa o compromisso do diretor da "RAI2" de voltar a exibir o filme sem cortes.

Segundo os diretores da "RAI", a emissora comprou inicialmente os direitos de "O Segredo de Brokeback Mountain" da sociedade BIM, que se encarregou de distribuir o longa nos cinemas da Itália, para que a fita pudesse ser transmitida em qualquer das faixas horárias de programação.

Quando a "RAI2" decidiu exibir o filme em uma faixa horária noturna em sua versão integral, não comprovou se a fita que tinha em seu poder era a edição censurada, apta para todos os públicos, ou a versão original de Ang Lee. EFE ccg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG