Gays asiáticos enfrentam altas taxas de Aids

A taxa de infecção pelo vírus HIV entre os gays em várias partes da Ásia são tão elevadas quanto as que dizimaram as comunidades homossexuais dos Estados Unidos no final da década de 80, revelou a Onuaids nesta terça-feira.

AFP |

Em seu relatório de 2008 sobre a epidemia de Aids, o diretor executivo deste organismo da ONU, Peter Piot, pediu a adoção de mais ações para prevenir a propagação do HIV entre os homossexuais masculinos, e defendeu a importância do trabalho com as comunidades afetadas.

"Em toda a Ásia há agora epidemias de Aids em homens que fazem sexo com homens na mesma intensidade que observamos há 25 anos" nos EUA, disse Piot. "Isto é algo que foi detectado muito recentemente e ainda não há ações suficientes, mas estamos iniciando programas".

Paul De Lay, diretor de Vigilância da Onuaids, admitiu que epidemia de Aids entre a comunidade gay na Ásia não é nova, mas atingiu recentemente níveis vistos em cidades como San Francisco no final da década de 80.

Segundo De Lay, isto se deve há vários fatores, incluindo menos fundos para programas dirigidos a gays e à existência de novos grupos, menos preocupados com o sexo seguro.

"Há países onde o percentual de pessoas infectadas é similar ao de San Francisco, Berlim e Londres" nos anos 80, "onde entre 15 e 20% dos homens que faziam sexo com outros homens eram soropositivos".

gap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG