Gates: EUA serão mais cautelosos com ataques preventivos após Iraque

Os Estados Unidos serão mais cautelosos no futuro ao lançar seus ataques preventivos contra outros países, após o fracasso dos serviços de Inteligência envolvendo a guerra do Iraque, revelou nesta quarta-feira o secretário da Defesa, Robert Gates.

AFP |

"As lições dos erros cometidos sobre a presença de armas de destruição em massa (no Iraque) e sobre outras questões farão com que todo novo presidente seja muito prudente antes de iniciar um conflito deste tipo baseado em relatórios dos serviços de inteligência", disse Gates à rede de televisão PBS.

A existência de um arsenal de armas de destruição em massa no Iraque, que jamais foi localizado, e supostas ligações entre Bagdá e a rede terrorista Al-Qaeda foram os motivos alegados pelo presidente George W. Bush para invadir (2001-2009) o país, em março de 2003.

Gates estimou que após o episódio no Iraque, todo novo presidente "vai enfrentar muitas questões difíceis" antes de se envolver em um conflito similar.

"Penso que os obstáculos envolvendo um ataque (preventivo) são hoje muito mais importantes que há seis ou sete anos".

Gates, ex-diretor da CIA, estimou que a partir de agora deverão ser observados critérios muito mais severos antes de uma eventual ação preventiva.

"Penso que a primeira barreira a superar será: corremos o risco de ser atacados aqui em nossa casa?", disse Gates, acrescentando que "a qualidade das informações" também é um fator determinante.

Leia mais sobre Iraque

    Leia tudo sobre: iraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG