Copenhague, 1 abr (EFE).- O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, se mostrou hoje cético diante da possibilidade de que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) consiga na próxima cúpula de Bucareste que seus parceiros aumentem seus contingentes militares no Afeganistão na medida necessária.

"Acho que em Bucareste vamos ver um maior compromisso, mas não acho que se aproxime do número de soldados que a Otan solicitou.

Este é um desafio pelo que temos que continuar trabalhando", disse Gates em entrevista coletiva com o ministro de Defesa dinamarquês, Søren Gade.

Além disso, Gates expressou seu convencimento de que os Estados Unidos e a Rússia aproximarão posições sobre os planos de Washington de colocar um escudo antimísseis na Polônia e na República Tcheca, na reunião deste fim de semana entre os presidentes de ambos os países, George W. Bush e Vladimir Putin.

O titular da Defesa americano espera também que os aliados decidam em Bucareste uma declaração pública de apoio ao escudo.

Durante sua visita de hoje a Copenhague, Gates manteve encontros com o primeiro-ministro dinamarquês, Anders Fogh Rasmussen, e os titulares de Assuntos Exteriores, Per Stig Møller, e de Defesa, Søren Gade.

Gates agradeceu à Dinamarca por sua "extraordinária" contribuição no Afeganistão, e mostrou suas condolências pela morte nesta segunda-feira de um soldado dinamarquês no sul do país asiático.

A Dinamarca mantém no Afeganistão um contingente de 690 soldados, dos quais 550 se encontram na província de Helmand. EFE alc/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.