Gates, do Caso Irã-contras à direção do Pentágono

Robert Gates, 65 anos, atual secretário da Defesa dos Estados Unidos, tem sua continuidade no cargo praticamente garantida na equipe do governo Barack Obama. Gates, que assumiu o Departamento da Defesa, em janeiro de 2007, indicado pelo presidente George Bush, no lugar do linha-dura Donald Rumsfeld, é um ex-diretor da CIA que já trabalhou para seis presidentes.

AFP |

Gates foi diretor da Agência Central de Inteligência (CIA) entre novembro de 1991 e janeiro de 1993, durante a presidência de George Bush pai (1989-1993). Entrou para a CIA em 1966 e passou quase 27 anos como um profissional da espionagem, período durante o qual serviu a seis presidentes. Também trabalhou no Conselho de Segurança Nacional.

Antes de assumir a Defesa, era presidente da A and M University, em College Station, no Texas, além de ser membro do Grupo de Estudos sobre o Iraque, uma organização bipartidária liderada pelo ex-secretário de Estado republicano James Baker (outro texano) e o democrata Lee Hamilton. A comissão trabalhava em recomendações sobre o Iraque a serem apresentadas ao governo.

"Confirmado pelo Senado, Bob trouxe mais de 25 anos de experiência em Segurança Nacional e uma reputação estelar como um líder efetivo de bom senso. Serviu a seis presidentes de ambos os partidos e subiu do posto mais baixo na CIA, até se tornar diretor de Inteligência Central", afirmou Bush na época, ao justificar sua indicação.

Gates substituiu Donald Rumsfeld, sobre quem Bush disse ter sido "um magnífico líder durante tempos de mudança", um "patriota que serviu ao seu país com honra e distinção" e um "assessor confiável e amigo".

Bob Gates também trabalhou como assessor adjunto para George Bush pai no Conselho Nacional de Segurança (NSC) entre 1989 e 1991, onde atuou com a atual secretária de Estado Condoleezza Rice. Ele passou nove anos no NSC.

Nascido em Kansas em 25 de dezembro de 1943, casado, pai de dois filhos adultos, Gates é historiador e tem um doutorado em história da União Soviética. Ele presida os debates sobre a Rússia no NSC, enquanto que Rice dirigia as discussões sobre a Europa oriental.

Gates escreveu um livro sobre a Guerra Fria e a espionagem, intitulado "From the Shadows: the ultimate insider's story of five presidentes and how they won the cold war" (Desde as sombras: a história secreta de cinco presidentes e como eles ganharam a Guerra Fria).

Em 1991, durante as audiências no Congresso para sua confirmação como diretor de inteligência, Robert Gates foi interrogado diversas vezes sobre o caso Irã-contras, um escândalo que estourou em 1983 e que consistiu na venda de armas ao Irã para financiar as ações contra o governo sandinista na Nicarágua.

ch/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG