Gates diz que memorando teve objetivo de delinear estratégias sobre Irã

Washington, 18 abr (EFE).- O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, disse hoje que o memorando secreto enviado à Casa Branca em janeiro teve o objetivo de delinear os próximos passos a serem dados sobre o Irã e que não foi um chamado de alerta, como sugeriu o jornal The New York Times.

EFE |

"Não deve haver confusão por parte de nossos aliados e adversários de que os EUA estão centrados, de forma adequada e enérgica, neste assunto, e que estão se preparado para atuar sobre uma ampla gama de contingências para apoiar nossos interesses", informou Gates, em comunicado.

O secretário de Defesa saiu em resposta à matéria publicada no "New York Times" sobre o documento enviado ao assessor de Segurança Nacional dos EUA, James Jones. Gates advertiu que seu país não tinha um plano para responder às ambições nucleares do Irã no longo prazo.

O memorando, segundo o jornal, obrigou o Executivo a replanejar sua estratégia para o Irã e a elaborar diversas opções, que incluiriam a via militar.

Citando fontes anônimas do Governo, o jornal nova-iorquino afirmou que a análise enviada ao general Jones gerou um enorme esforço dentro do Pentágono e da Casa Branca para elaborar "novas opções" com o presidente americano, Barack Obama.

Essas opções incluiriam um conjunto de alternativas militares, ainda que imaturas, que seriam levadas em conta caso a diplomacia e as sanções não conseguissem fazer com o Governo de Teerã mudasse de rumo, segundo o "New York Times".

Gates disse que as fontes anônimas citadas pelo diário "interpretaram mal o propósito e conteúdo" do documento enviado a Jones em janeiro.

Um alto funcionário disse que o documento serviu como um "chamado de alerta", embora funcionários da Casa Branca insistam em que durante 15 meses realizaram planos detalhados para diversos cenários possíveis em resposta ao programa nuclear do Irã, informou o jornal.

"O memorando não tinha a intenção de servir de 'chamado de alerta', nem foi recebido de tal forma pela equipe de segurança nacional do presidente", enfatizou Gates. O texto "apresentava uma série de assuntos e propostas com a intenção de contribuir para um processo de tomada de decisões ordenado e oportuno". EFE mp/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG