Gates aceita permanecer por um ano como secretário de Defesa de Obama

WASHINGTON (EUA) - O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, aceitou permanecer pelo menos por mais um ano no cargo sob o mandato do novo presidente do país, Barack Obama, afirmou hoje a rede de televisão ABC News.

EFE |

Se a nomeação for confirmada, Obama poderá manter à frente do Pentágono uma figura muito respeitada tanto entre republicanos quanto entre democratas como o autor da estratégia que permitiu uma drástica queda da violência no último um ano e meio no Iraque.

Além disso, permitirá ao presidente eleito cumprir suas promessas de aceitar no gabinete não só democratas, mas também republicanos.

Gates, que substituiu Donald Rumsfeld à frente do Departamento de Defesa em dezembro de 2006, está inscrito no censo eleitoral como independente, mas ocupou cargos em diversos Governos republicanos.

Espera-se que a nomeação seja formalizada na próxima semana, quando Obama poderia apresentar também o próximo secretário de Estado - que acredita-se que será a senadora Hillary Clinton- e seu conselheiro de Segurança Nacional, cargo que deve ser ocupado pelo general reformado James Jones.

Esta semana, o presidente eleito apresentou a equipe econômica, que será liderado pelo futuro secretário do Tesouro Tim Geithner.

Segundo o site "Politico", James Steinberg, que foi "número dois" do Conselho de Segurança Nacional sob o presidente Bill Clinton, será o subsecretário de Estado; e Susan Rice, assessora de Política Externa da campanha de Obama, será a nova embaixadora dos EUA na ONU.

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG