Garoto caminha 6 km para salvar mãe e avô na Escócia

Um garoto escocês de 11 anos caminhou mais de 6 km para buscar socorro para sua família, depois que seu avô sofreu uma forte dor no peito e sua mãe quebrou o pé caindo de um barranco.

BBC Brasil |

O feito de Jason Petrie, de 11 anos, salvou o feriado da família, que havia saído para acampar perto do fiorde de Loch Hourn, no noroeste da Escócia, na segunda-feira à tarde.

"Já tínhamos percorrido sete ou oito milhas (cerca de 12 km) e a trilha era bastante rochosa", contou à BBC a mãe de Jason, Nicola, 31. Além deles, estavam no grupo o avô Harry, 57, e a irmã Emma, 3.

"Por volta das sete da noite meu pai, que tem problemas de coração, começou a se sentir mal e a ficar desorientado. O celular não pegava sinal".

Nicola disse que hesitou entre deixar o pai sozinho ou mandar o filho ir buscar ajuda sozinho. No fim, preferiu escrever um bilhete e enviá-lo para ser entregue por Jason em local onde pudesse haver ajuda.

"Confiei em Jason para percorrer o caminho porque ele é sensato e muito confiável", afirmou a mãe.

Escuridão

Por volta das 22h, quando começava a escurecer nas montanhas, o avô disse que já se sentia melhor e que a família poderia partir à procura de Jason.

Haviam caminhado pouco quando Nicola perdeu o equilíbrio e caiu em uma escarpa 5 m abaixo. Só não caiu outros 5 m porque conseguiu se equilibrar em uma pedra agarrando-se à vegetação do local. Porém, torceu o tornozelo e machucou gravemente o joelho.

Sozinho, o avô prosseguiu caminhando na trilha com uma lanterna. Enquanto isso, Jason havia caminhado mais de 6 km, encontrado uma casa e entregado o bilhete de sua mãe ao proprietário.

Ambos contataram o serviço de emergência e se dirigiram de barco para o local onde a família havia ficado. No caminho, viram as luzes da lanterna do avô.

Foi preciso esperar quatro horas até que os serviços de emergência pudessem alcançar Nicola, que não podia se mover. Ela foi içada por um helicóptero da força aérea enviado para a área.

"Jason se portou muito bem", disse a mãe, após o incidente. "Estou muito orgulhosa dele e acho que ele merece uma medalha. Nem quero pensar no que teria acontecido se ele não tivesse feito o que fez".

O garoto, que está em férias escolares, disse que ficou assustado ao caminhar sozinho pela trilha, mas não deixou se intimidar pelas dificuldades. "Eu fiquei um pouco assustado porque ia ficando escuro e não aparecia nenhuma casa", afirmou.

"Eu não conseguia parar de pensar em quanto ainda teria de caminhar. Mas me forcei a continuar porque sabia que meu avô precisava de ajuda".

Leia mais sobre resgate

    Leia tudo sobre: grã-bretanharesgate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG