Garota de programa diz ter recebido R$ 23 mil de Berlusconi

Nadia Macri afirmou ter participado de orgia na casa do primeiro-ministro italiano, onde convidados fumavam maconha

iG São Paulo |

A garota de programa Nadia Macri disse ter recebido 10 mil euros (cerca de 23 mil reais) para fazer sexo com o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, em uma orgia na casa dele há dois anos.

A agência Associated Press informou nesta quinta-feira que promotores da cidade italiana de Palermo interrogaram Nadia recentemente. No depoimento, a garota disse que cerca de 30 mulheres, algumas de 17 anos, foram convidadas para uma festa na casa de Berlusconi na Sardenha.

De acordo com a imprensa europeia, que divulgou trechos da transcrição do suposto depoimento, Nadia disse que havia maconha em todos os quartos, embora não tenha visto Berlusconi usar a droga.

© AP
Nadia Macri é vista em sua casa na província de Reggio Emilia

Segundo o jornal inglês "Telegraph", as acusações foram feitas durante uma investigação sobre o envolvimento de Perla Genovesi, ex-membro do Partido de Berlusconi, com tráfico de drogas. Os advogados do primeiro-ministro negaram as acusações de Nadia.

Caso Ruby

Na semana passada, a oposição acusou Berlusconi de abuso de poder com base nas informações de que ele teria telefonado para a polícia milanesa, em maio, para interceder a favor de uma garota fugitiva, apelidada pela imprensa italiana de Ruby, acusada de furto.

A imprensa italiana afirma que, no telefonema, Berlusconi teria dito para a polícia que a garota seria neta do presidente egípcio, Hosni Mubarak. À época, a dançarina de dança do ventre marroquina tinha 17 anos de idade e há relatos de que ela teria visitado a casa de Berlusconi pelo menos uma vez.

Presa pela polícia após uma acusação de roubo, ela teria contado aos policiais detalhes sobre sua participação nas festas em Arcore. Em depoimento a juízes milaneses, a marroquina de 17 anos afirmou que em 2009 esteve várias vezes na residência do premiê em Arcore, juntamente com outras jovens para a ‘brincadeira’ do ‘bunga-bunga’.

Segundo Ruby, o estilo de festa é africano e teria sido aprendido pelo premiê com o líder Muhammar Kadhafi, que gostava de fazê-lo em seu harém. No ‘bunga-bunga’ as moças tiram a roupa, dançam, se beijam e tomam banho para ‘divertir’ um grupo de convidados.

A imprensa italiana não cogita que a moça tenha tido relações sexuais com Silvio Berlusconi. Além disso, os advogados do premiê formalmente desmentiram essa possibilidade.

Divórcio

Silvio Berlusconi já se envolveu no passado em inúmeros escândalos sexuais que incentivaram sua esposa Veronica Lario a pedir o divórcio.

Em julho, Berlusconi se viu em meio a outro escândalo. Em uma festa privada do premiê, participaram seis dançarinas brasileiras, que fizeram uma apresentação da sensual "pole dance" (dança do poste).

Em 2009, Berlusconi enfrentou queda de popularidade e pressão para renunciar por causa de escândalos sexuais que incluíram acusações de que ele havia mantido relações com adolescentes e prostitutas de luxo. Em resposta às denúncias, em 22 de julho ele disse "não sou nenhum santo" e se comprometeu a cumprir seu mandato até o fim, em 2013.

Com EFE, BBC, Agência Estado e Ansa

    Leia tudo sobre: itáliasilvio berlusconiescândalo sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG