Uma adolescente que usava um colete com explosivos se entregou à polícia na cidade de Baqouba, ao norte de Bagdá, a capital iraquiana. A garota, que não teve a identidade confirmada pela BBC, aparentava ter entre 13 e 15 anos.

Só nesse ano, houve quase 30 atentados suicidas realizados por mulheres no Iraque, mais do que nos últimos cinco anos juntos.

Para ajudar a combater ataques de mulheres-bomba, um grupo de mulheres está trabalhando com a polícia iraquiana.

As "Filhas do Iraque", como o grupo é chamado, trabalham revistando mulheres em locais considerados alvos de ataques.

Muitas mulheres já foram presas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.