Lima, 20 jun (EFE).- O presidente peruano, Alan García, ratificou hoje seu voto de confiança no primeiro-ministro, Yehude Simon, que renunciou esta semana por causa da crise envolvendo o Governo e as comunidades indígenas da Amazônia.

Em declarações à imprensa em uma viagem de trabalho, García afirmou que Simon é "um homem honesto, capaz de dizer a verdade e com grande capacidade de diálogo, escuta e convencimento".

O presidente disse que nos últimos dias ouviu sugestões "de alguns amigos e adversários" para que oficializasse a saída de Simon de seu Gabinete, antes que o próprio depusesse na próxima quarta-feira e houvesse chance de ser censurado pelo Parlamento.

García disse que essa opção "não parece" provável, pois renovou seu voto de confiança e desafiou o Congresso a censurá-lo.

"Se o Congresso decidir censurá-lo (Simon), que o Peru seja testemunha de que, muito além da reconciliação, existem pequenas vinganças políticas", avaliou o presidente.

Pelo menos três blocos políticos no Legislativo pediram a renúncia de Simon e da ministra do Interior, Mercedes Cabanillas, pela violência registrada na cidade de Bagua, e que deixou saldo de 34 mortos no último dia 5.

Os protestos das comunidades indígenas tiveram início em 9 de abril e se estenderam por mais de dois meses para reivindicar a derrogação de um pacote de leis que consideram prejudiciais, e que o Governo aceitou esta semana. EFE mmr/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.