Ganhador do Nobel da Paz diz que todos os conflitos podem ser resolvidos

O mediador Martti Ahtisaari, vencedor do Prêmio Nobel 2008, disse nesta quarta-feira que todos os conflitos podem ser solucionados, e fez um apelo ao presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, para que se esforce para trazer paz para o Oriente Médio.

AFP |

"Todos os conflitos podem ser solucionados, e não há desculpas para permitir que eles se tornem eternos", afirmou Ahtisaari na cerimônia de entrega do Nobel, em Oslo.

Ao longo dos últimos 30 anos, o ex-presidente finlandês ajudou a resolver conflitos em lugares problemáticos como Indonésia, Namíbia, Irlanda do Norte e os Bálcãs.

Em seu discurso, Ahtisaari destacou a necessidade de solucionar um dos conflitos mais longos e violentos do planeta, pedindo ao presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, que dê prioridade a um acordo de paz no Oriente Médio.

"Espero que o novo presidente dos Estados Unidos, que tomará posse no próximo mês, dê alta prioridade ao conflito no Oriente Médio durante seu primeiro ano no cargo", disse o diplomata de carreira, de 71 anos.

Ahtisaari insistiu que, para alcançar a paz no Oriente Médio, uma nova perspectiva será necessária.

Além dos Estados Unidos, a União Européia, a Rússia e as Nações Unidas devem se envolver na negociação de um acordo, que deve ser amplo o suficiente para incluir "de Israel e Palestina a Iraque e Irã".

"Se quisermos alcançar resultados duradouros, devemos olhar para toda a região", afirmou, ressaltando que "não podemos simplesmente continuar, ano após ano, fingindo que estamos fazendo alguma coisa para ajudar a situação no Oriente Médio. Precisamos conseguir resultados também".

Na Europa, o ex-presidente finlandês teve papel fundamental no fim das hostilidades entre a Sérvia e sua então província separatista do Kosovo. Entre 2005 e 2007, tentou em vão conseguir um acordo entre Belgrado e Pristina.

Na terça-feira Ahtisaari disse em Oslo que a independência do Kosovo era "irreversível".

O ponto alto de sua carreira, no entanto, foi sua participação no conflito na Namíbia como enviado especial da ONU, quando ajudou a orientar o país na direção de uma independência pacífica em 1990 depois de mais de uma década de negociações.

O diretor do comitê do Prêmio Nobel, Ole Danbolt Mjoes, lembrou nesta quarta-feira que Ahtisaari recebeu o apelido de "parteira da Namíbia", devido à grande quantidade de crianças do país batizadas em sua homenagem.

"É simplesmente inaceitável que conflitos violentos fiquem sem solução por décadas, causando imenso sofrimento humano e impedindo o desenvolvimento econômico e social", concluiu Ahtisaari em seu discurso.

phy/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG