Gangue usa cobra em ataque a jovem na Grã-Bretanha

Uma gangue de criminosos usou uma cobra píton de 1,2 metro de comprimento para atacar um jovem de 14 anos no meio da rua, forçando o réptil a mordê-lo.

BBC Brasil |

A polícia suspeita que o ataque em Bradley Stoke, pode ter tido um elemento racista e pede que testemunhas entrem em contato.

O menino foi preso no chão no sábado à tarde, enquanto um dos membros da gangue segurou a cobra - que não é venenosa -, forçando-a a mordê-lo.

Dois jovens de 16 e 17 anos de idade estão sendo interrogados pela polícia. A vítima foi levada a um hospital para ser examinada.

Emboscada

A polícia e a RSPCA, uma ONG britânica de proteção aos animais, estão investigando o incidente. Os paramédicos que prestaram os primeiros socorros, ainda na rua, procuraram o zoológico de Bristol para pedir ajuda.

"Os funcionários presentes na ambulância consultaram o Google e especialistas do zoológico de Bristol depois que um adolescente foi atacado por um grupo de jovens", disse um porta-voz do serviço de ambulâncias da região.

Segundo o porta-voz, os jovens forçaram a cobra a morder o braço do rapaz, deixando dois furos.

As pítons normalmente caçam por emboscada e esmagam sua presa para matá-la.

"Apesar de o paciente ter sofrido dificuldades para respirar depois do ataque, isso provavelmente foi causado por pânico e não em reação à mordida. Eu provavelmente entraria em pânico se tivesse ocorrido comigo", disse um dos membros da equipe da ambulância que atendeu a vítima, Michael Howells.

"O adolescente foi vítima de comentários racistas e depois teria sido mantido no chão enquanto a cobra foi segurada em frente a ele e mordeu seu braço direito", disse um porta-voz da polícia de Avon e Sommerset, na região.

"O jovem foi levado para o hospital com dificuldade para respirar e teve o ferimento do braço tratado."

Leia mais sobre: pítons

    Leia tudo sobre: ganguesgrã-bretanhainglaterra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG