G8 renova seu objetivo de duplicar ajuda à África até 2010

Toyako (Japão), 8 jul (EFE).- O Grupo dos Oito (G8, os sete países mais desenvolvidos e a Rússia) renovou hoje seu objetivo de duplicar a ajuda à África até 2010 e afirmou que considerará a possibilidade de estendê-la, afirma um comunicado divulgado durante a cúpula em Toyako, no Japão.

EFE |

No comunicado, o G8 anunciou também novas iniciativas de ajuda, entre elas a promessa de US$ 100 milhões para a aquisição de mosquiteiros tratados com inseticida até 2010 e um aumento dos trabalhadores de saúde no continente.

Além disso, expressaram seu compromisso de lutar contra doenças tropicais e tratar 75% das pessoas afetadas em um prazo de três a cinco anos.

Os líderes também se mostraram de acordo em colaborar para ajudar os países africanos a aumentar sua produção agrícola e promover o investimento.

"Reconhecemos que a assistência oficial direta do G8 e de outros doadores à África deveria ser revista, e pode ser necessário aumentá-la no período posterior a 2010, além de nossos compromissos atuais", declaram os líderes dos Estados Unidos, Japão, Canadá, Rússia, França, Itália, Alemanha e Reino Unido.

O G8 se comprometeu na cúpula em Gleneagles, no Reino Unido, em 2005, duplicar sua ajuda à África até 2010, o que elevaria essa assistência a US$ 50 bilhões anuais.

Nos últimos dias, alguns países africanos tinham expressado seu temor de que os países do G8 voltassem atrás ao concretizar essa ajuda, da qual até agora só 14% se materializou.

Em comunicado paralelo, a Casa Branca expressou sua satisfação pela declaração do G8 e afirmou que o grupo divulgará relatórios detalhados sobre o cumprimento de seus compromissos na ajuda à saúde e ao combate à corrupção no continente africano.

Estes relatórios, disse Dana Perino, porta-voz do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, serão apresentados "país por país e doença por doença".

O G8 também se mostrou de acordo, segundo a porta-voz, em elaborar relatórios adicionais sobre outros compromissos no futuro.

O efeito desta medida será "garantir que, a partir de agora, o cumprimento dos compromissos do G8 será mensurável, verificável e transparente", disse Perino.

Ontem, em uma sessão junto com representantes de sete países africanos, estas nações pediram ao G8 que exerça sua liderança nas conversas entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e as economias do continente mais enfraquecidas pelos altos preços do petróleo.

Além disso, solicitaram ao G8 que cumpra suas promessas de ajuda humanitária para o continente. EFE mv/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG