Por Daniel Flynn ROMA (Reuters) - A apenas cinco meses para a aprovação de um novo pacto global para combater a mudança climática, nenhum país do Grupo dos Oito está fazendo o suficiente para conter o aquecimento global, com Canadá e Estados Unidos figurando entre os últimos do ranking, alertou um estudo na quarta-feira.

Os "Indicadores Climáticos do G8", compilados pelo grupo ambientalista WWF, afirmaram que mesmo os membros mais "verdes" do clube dos países ricos - Alemanha, Grã-Bretanha e França - não estão na trilha para limitar o aumento da temperatura para menos de dois graus Celsius.

Líderes do G8 vão se reunir na Itália na semana que vem para discutir a crise financeira e a mudança climática, na esperança de avançar em direção a um novo pacto sobre o aquecimento global, que deve ser aprovado em Copenhague em dezembro para substituir o acordo de Kyoto, de 1997.

A eles vão se unir os membros do Fórum das Maiores Economias, organizado pelo presidente norte-americano, Barack Obama, numa tentativa de formar um amplo consenso.

"Embora possa haver a possibilidade de socorro para o sistema financeiro, nenhuma quantidade de dinheiro salvará o planeta uma vez que a mudança climática cruzar o limiar do perigo", escreveu o diretor-geral do WWF, James Leape, no prefácio do relatório.

Os indicadores anuais do G8, de quarta-feira, destacaram o Canadá, afirmando que o governo conservador do premiê Stephen Harper não implementou um plano para reduzir as emissões, que já estão entre as mais altas do mundo per capita e aumentam de forma constante. O Canadá não chegou nem perto de cumprir o acordo de Kyoto, disse o WWF.

O relatório elogiou o presidente Obama por priorizar a energia limpa no pacote de recuperação da economia e promover uma legislação ambiental, mas disse que as emissões per capita dos EUA estavam entre as mais altas do mundo e a previsão é de que aumentem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.