G8 não descarta sanções ao Zimbábue

Toyako (Japão), 9 jul (EFE).- O primeiro-ministro japonês, Yasuo Fukuda, assegurou hoje que o Grupo dos Oito (G8, os sete países mais industrializados e a Rússia) não descarta a imposição de sanções ao Zimbábue, durante a entrevista coletiva posterior à cúpula de Hokkaido.

EFE |

Como presidente rotativo do G8, Fukuda disse que, se o Conselho de Segurança das Nações Unidas chegar a um acordo, as sanções por parte do grupo ao regime de Mugabe "serão concebíveis".

Os países do G8 fecharam a jornada de ontem com uma declaração na qual asseguraram que darão "novos passos" contra os responsáveis pela violência eleitoral no Zimbábue, mas não especificaram sobre sanções ao país africano.

Os líderes dos países reunidos em Hokkaido demonstraram preocupação com a situação no Zimbábue, e indicaram que deploravam o fato de as autoridades desse país continuarem com o processo eleitoral presidencial, apesar da ausência de condições para um voto livre e imparcial, como resultado de sua "violência sistemática, obstrução e intimidação".

Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha eram favoráveis às sanções, mas segundo fontes das negociações, a Rússia não era partidária da medida.

O G8 afirmou que não aceita a legitimidade do regime de Mugabe após o pleito, e expressou sua "profunda preocupação" com a "repercussão humanitária" da situação no Zimbábue. EFE fab/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG