G8 exige que regime birmanês liberte Suu Kyi

Toyako (Japão), 9 jul (EFE).- O Grupo dos Oito (G8, os sete países mais industrializados e a Rússia) exigiu hoje que a Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia) liberte imediatamente a Nobel da Paz e líder do movimento democrático, Aung San Suu Kyi, e os demais prisioneiros políticos no país.

EFE |

"Exigimos que Mianmar coloque imediatamente em liberdade os prisioneiros políticos, incluindo Aung San Suu Kyi", indicaram os líderes do G8 no documento final apresentado pelo primeiro-ministro do Japão, Yasuo Fukuda.

A Junta Militar prorrogou no dia 27 de maio por um ano a detenção de Suu Kyi, secretária-geral da Liga Nacional pela Democracia (LND), que passou mais de 12 dos últimos 18 anos confinada em sua casa de Yangun, a antiga capital birmanesa.

A líder opositora foi detida pela primeira vez em 1989, um ano antes de a LND vencer as últimas eleições democráticas realizadas no país, cujos resultados não foram reconhecidos pelos generais que governam Mianmar desde 1962.

Além disso, o G8 afirmou que a Junta Militar precisa iniciar o diálogo político com a oposição, com a finalidade de realizar um processo de transição transparente em direção à democracia. EFE mfr/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG