Tamanho do texto

Toyako (Japão), 9 jul (EFE).- O Grupo dos Oito (G8, os sete países mais industrializados e a Rússia) exigiu hoje que a Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia) liberte imediatamente a Nobel da Paz e líder do movimento democrático, Aung San Suu Kyi, e os demais prisioneiros políticos no país.

"Exigimos que Mianmar coloque imediatamente em liberdade os prisioneiros políticos, incluindo Aung San Suu Kyi", indicaram os líderes do G8 no documento final apresentado pelo primeiro-ministro do Japão, Yasuo Fukuda.

A Junta Militar prorrogou no dia 27 de maio por um ano a detenção de Suu Kyi, secretária-geral da Liga Nacional pela Democracia (LND), que passou mais de 12 dos últimos 18 anos confinada em sua casa de Yangun, a antiga capital birmanesa.

A líder opositora foi detida pela primeira vez em 1989, um ano antes de a LND vencer as últimas eleições democráticas realizadas no país, cujos resultados não foram reconhecidos pelos generais que governam Mianmar desde 1962.

Além disso, o G8 afirmou que a Junta Militar precisa iniciar o diálogo político com a oposição, com a finalidade de realizar um processo de transição transparente em direção à democracia. EFE mfr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.