Por Francesca Landini e Valentina Za LECCE, Itália (Reuters) - As nações mais ricas do mundo acreditam que as suas economias estão se estabilizando, mas que a recuperação da crise de crédito continua incerta, afirmaram neste sábado em comunicado os ministros de Finanças dos países do G8.

"Há sinais de estabilização nas nossas economias, incluindo uma recuperação nos mercados acionários, uma queda nos spreads de taxas de juros e aumento da confiança dos empresários e consumidores", diz o comunicado.

"Porém, a situação continua incerta, e riscos significativos para a estabilidade econômica e financeira permanecem", declaram os ministros depois de se reunirem por dois dias no sul da Itália.

Os ministros confirmaram que começaram a analisar maneiras de afrouxar as medidas de socorro econômico uma vez que a recuperação for dada como certa. Foi pedido ao Fundo Monetário Internacional (FMI) que analise possíveis "estratégias de saída" de programas radicais de estímulo.

O G8 quer tranquilizar o nervoso mercado de bônus, que teme que investimento público pesado e taxas de juros muito baixas possam alimentar a inflação e causar danos às finanças dos Estados.

No entanto, os ministros, notando que o desemprego pode continuar a subir mesmo depois do aumento da produção, deixaram claro que os países não devem apertar logo as suas políticas e ações de apoio.

"Devemos permanecer vigilantes para assegurar que a confiança do consumidor e do investidor se restaure por completo e para que o crescimento tenha suporte em mercados financeiros estáveis e fundamentos sólidos", declararam eles, prometendo mais estímulo se for necessário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.