G20-Segurança é reforçada por ameaça de protestos em Londres

Por Michael Holden e William Maclean LONDRES (Reuters) - A polícia britânica colocou em vigor na quarta-feira um dos maiores esquemas de segurança da história para proteger o centro financeiro de Londres da ação de manifestantes que ameaçam invadir bancos no que chamam de Dia da Mentira Financeira.

Reuters |

Vitrines de lojas e restaurantes foram cobertas com placas para evitar depredações durante o protesto, marcado para coincidir com a cúpula do G20 na quinta-feira em Londres. Policiais em licença tiveram de voltar ao trabalho, e milhares de agentes foram mobilizados de outras partes da Grã-Bretanha.

Mas, no começo do dia, havia muito mais cinegrafistas e jornalistas do que manifestantes.

"Fomos roubados", disse Vinzcente Oliver, 22, que veio do norte da Inglaterra para protestar contra os cortes dos juros, que prejudicaram os rendimentos de poupadores e pensionistas. "Vim apoiar os mais velhos, que trabalharam todos esses anos. Se nós roubássemos qualquer coisa iríamos para a cadeia", declarou.

A segurança estava especialmente reforçada em frente ao Banco da Inglaterra (Banco Central), a Bolsa e outras instituições financeiras. Policiais usando coletes amarelo-berrante revistavam pessoas em frente ao BC. Um helicóptero voava em círculos.

Perto dali, uma loja Gucci fechou e sua vitrine foi esvaziada. Uma agência bancária dos arredores também preferiu fechar as portas.

Placas de madeira protegem o memorial bélico em frente ao Royal Exchange ("Real Bolsa de Valores"), que já foi o centro comercial da City londrina e hoje funciona como shopping de luxo. Canteiros de obras no bairro foram lacrados para impedir que os manifestantes usem o material de construção como arma, segundo a polícia.

Guardas e cercas metálicas cercaram também a sede do Royal Bank of Scotland, instituição falida que foi resgatada pelo governo. Seu ex-diretor Fred Goodwin desperta ira no país por se tornar símbolo dos pagamentos elevados aos banqueiros.

Ambientalistas, pacifistas e outros manifestantes planejam uma série de protestos por ocasião da cúpula do G20, grupo de países desenvolvidos e emergentes, na quinta-feira.

"Será uma das maiores, mais desafiadores e complicadas operações que já fizemos", disse Simon O'Brien, comandante da polícia metropolitana.

As autoridades dizem desconhecer ameaças terroristas específicas contra a cúpula, mas estão cientes do fato de que foi durante uma cúpula do G8 na Escócia, em 2005, que quatro muçulmanos de origem britânica realizaram o pior ataque contra Londres em tempos de paz - os atentados suicidas contra metrôs e um ônibus que mataram 52 pessoas.

(Reportagem adicional de Kate Holton)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG