Futuro enviado de missão de paz para Darfur pede cessar-fogo imediato

Cartum, 20 jul (EFE).- O futuro enviado da missão de paz da União Africana (UA) e da ONU na região sudanesa de Darfur (Unamid), Djibril Yipènè Bassolé, pediu hoje um cessar-fogo imediato na conflituosa província e a retomada das negociações de paz.

EFE |

Bassolé, ministro de Assuntos Exteriores de Burkina Fasso e que assumirá o posto de enviado especial em 1º de agosto, fez o apelo durante uma entrevista coletiva em Cartum, onde se reuniu com o presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad al-Bashir.

O diplomata anunciou que, assim que se tornar enviado da Unamid, irá para Darfur, no oeste do Sudão, se reunir com os líderes rebeldes, com os quais já manteve contatos extra-oficiais, disse o porta-voz do Governo sudanês, Ali al Sadiq.

Bassolé, que já prevê que sua missão será complicada, afirmou, contudo, que ela "não é impossível". Além disso, declarou que é possível chegar a um acordo de paz com a ajuda de todas as facções envolvidas.

As declarações de Bassolé, que receberá sua missão do atual enviado da ONU para Darfur, Jan Eliasson, e do representante da UA para esta região, Salim Ahmed Salim, são feitas uma semana depois de Tribunal Penal Internacional (TPI) ter decretado a prisão de Bashir e de vários de seus colaboradores.

O conflito de Darfur explodiu em janeiro de 2003 quando dois grupos rebeldes decidiram pegar em armas contra o regime de Cartum e a pobreza em que vive a região. EFE az/bm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG