Futuro do embargo cubano divide americanos (pesquisa)

Os americanos estão divididos quando o assunto é o futuro do embargo comercial a Cuba, imposto pelos Estados Unidos em 1962, revelou uma pesquisa, realizada pelo instituto Rasmussen, divulgada nesta segunda-feira.

AFP |

Perguntados se os EUA deveriam acabar com o embargo contra a ilha comunista, 36% disseram ser a favor, 35% contra e 29% afirmaram não ter certeza, segundo a sondagem, feita por telefone em todo o país entre os dias 9 e 10 de abril com 1.000 eleitores.

A divulgação da pesquisa coincide com o anúncio, feito nesta segunda-feira, de que o presidente Barack Obama suspenderá todas as restrições de viages e remessas para os cubano-americanos que possuem família na ilha, medida que beneficiará 1,5 milhão de cidadãos.

A decisão representa a concretização da oferta feita por Obama, que durante sua campanha prometeu flexibilizar as viagens e o envio de dinheiro para a ilha.

Segundo a pesquisa, publicada no site da Rasmussen, 36% dos americanos vêem Cuba como um inimigo dos Estados Unidos, enquanto apenas 3% a enxergam como um aliado, e 54% acreditam ser algo entre uma coisa e outra.

Ao todo, 45% dos entrevistados indicaram que Cuba ficará melhor depois da morte do líder Fidel Castro, que se afastou do poder em 2006 devido a problemas de saúde, enquanto 14% discordam disso e 41% se declararam indecisos.

du/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG