ROMA - O futuro da companhia aérea italiana Alitalia está por um fio, afirmou hoje o ministro do Trabalho, Maurizio Sacconi, segundo o qual existe o risco real de falência da empresa.

"É difícil saber o que ocorrerá", afirmou o ministro durante uma entrevista a um programa de televisão.

Apenas algumas das organizações sindicais dos funcionários da Alitalia aprovaram o plano elaborado para reabilitar a companhia, que inclui mudanças profundas no contrato de trabalho e a demissão de mais de três mil funcionários.

Ontem, Roberto Colannino, presidente da Companhia Aérea Italiana (CAI), consórcio de empresários italianos que pretende comprar a parte rentável da Alitalia, anunciou aos sindicatos que, se não houvesse um consenso, ele retiraria a oferta.

"Sem consenso amanhã, retiro a oferta", disse Colaninno durante um encontro realizado ontem no Palácio Chigi, sede do governo italiano, com as nove organizações sindicais que representam os trabalhadores da companhia aérea italiana.

O subsecretário do governo, Gianni Letta, declarou que a resposta dos sindicatos ao plano deveria chegar hoje às 15h50, no fuso horário local. Às 16h de hoje, está marcada uma assembléia da CAI para decidir se mantém ou não a oferta pela Alitalia.

Leia mais sobre Alitalia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.