O futuro do Afeganistão começará a tomar forma em 2010, com o início da transferência da segurança para mãos afegãs, apesar do empenho de terroristas e insurgentes, afirmou nesta sexta-feira o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o dinamarquês Anders Fogh Rasmussen.

As mudanças na área de segurança "começarão este ano", lembrou Rasmussen ao abrir uma reunião informal de ministros da Defesa dos 43 países com tropas no Afeganistão.

O encontro, que acontece em Istambul, tem o objetivo de promover a nova estratégia para o Afeganistão, a partir da qual o governo local começará a assumir gradualmente o controle dos distritos mais seguros do país.

Para isso, a Otan renovará o pedido para o envio de mais instrutores de soldados e policiais, para que as forças de segurança afegãs possam ter pelo menos 300 mil homens em outubro de 2011.

Rasmussen ressaltou que 36 países que participam da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) aceitaram reforçar suas tropas.

Ele também lembrou que o presidente afegão, Hamid Karzai, "comprometeu-se claramente" a melhorar a eficiência do governo, a lutar contra a corrupção e a "estender a mão" aos rebeldes que aceitarem abandonar as armas e começar uma nova vida.

"Após um difícil 2009, vemos agora um novo impulso em 2010", destacou o secretário-geral da Otan. Ele disse que este ano também será complicado, já que os insurgentes continuarão "tentando matar soldados da Isaf e cidadãos inocentes".

Por sua vez, o presidente turco, Abdullah Gül, destacou que "os problemas do Afeganistão não podem ser solucionados só com recursos militares".

Leia mais sobre Afeganistão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.