Futebol é usado para lavagem de dinheiro e tráfico humano, diz estudo

Uma investigação em mais de 20 países divulgada nesta quarta-feira conclui que a indústria do futebol está sendo usada por quadrilhas criminosas para lavagem de dinheiro e tráfico de pessoas.

BBC Brasil |

A Força-Tarefa Financeira - uma agência intergovernamental responsável por rastrear recursos provenientes do crime - afirma que a importância econômica cada vez maior do futebol transformou o esporte em alvo preferencial de quadrilhas de lavagem de dinheiro.

"O fluxo de muito dinheiro nos esportes tem efeitos positivos, mas também há consequências negativas", diz o documento. "Há um risco mais alto de fraude e corrupção, dada a quantidade de recursos em jogo".

De acordo com a investigação, criminosos em busca de "legitimação" de seus recursos ilícitos cada vez mais compram clubes e financiam a transferência de jogadores e atividades de apostas.

A força-tarefa conclui que o futebol é especialmente atraente para quadrilhas criminosas porque a estrutura do setor facilita a entrada de recém-chegados. Segundo a investigação, há muitos envolvidos, diversos órgãos legais e muitas vezes falta profissionalismo na administração dos clubes.

Cultura

Outra característica que, de acordo com os investigadores, facilita a exploração do setor por criminosos é a enorme necessidade financeira dos clubes, sempre envolvidos em transferências milionárias, nas quais a origem e o destino do dinheiro investido é pouco conhecida ou mesmo desconhecida.

Por último, o documento aponta características "culturais" do futebol, como a "vulnerabilidade" de alguns jogadores, principalmente os mais novos, a dificuldade de "quebrar a ilusão de inocência do esporte" com investigações profundas, e a "oportunidade de adquirir posições sociais na comunidade" de forma a ganhar credibilidade.

Além das práticas já citadas, o relatório também levanta casos em que o futebol é usado para levantar dinheiro ilicitamente, com tráfico de pessoas, corrupção, tráfico de drogas e evasão fiscal.

Os investigadores descobriram que várias técnicas de lavagem de dinheiro são usadas, como pagamento em dinheiro vivo, uso de paraísos fiscais e de "laranjas" e transferências internacionais. Além disso, as operações ilícitas estariam conectadas a outras redes de lavagem de dinheiro, através do setor de segurança, imóveis e apostas online.

Em suas conclusões, a força-tarefa sugere que os riscos de infiltração de criminosos na indústria futebolística sejam mais divulgados entre os profissionais da área e que mudanças que levem a uma maior transparência sejam implementadas no sistema de transferência de jogadores.

O relatório também recomenda uma maior colaboração intergovernamental para detectar abusos e práticas ilícitas, além de sugerir que as regulamentações da indústria do futebol sejam mais unificadas, para reduzir as diferenças em regras que atraem criminosos.

A Força-Tarefa Financeira afirma ainda que a prática de apostas pela internet em esportes merece uma investigação em separado, para que sejam levantadas possíveis irregularidades.

Leia mais sobre futebol e lavagem de dinheiro

    Leia tudo sobre: futebollavagem de dinheiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG