Gustav obriga os republicanos a cancelar atos em convenção - Mundo - iG" /

Furacão Gustav obriga os republicanos a cancelar atos em convenção

A Convenção Nacional Republicana para nomear John McCain como candidato presidencial do partido decidiu, neste domingo, cancelar os atos políticos previstos para esta segunda-feira, dia da abertura do evento, devido à ameaça do furacão Gustav.

EFE |

Perante a possibilidade de que se repitam as cenas de destruição causadas pelo "Katrina" há três anos em Nova Orleans, os republicanos optaram por cortar boa parte da festa que cerca estas convenções e evitar serem acusados de ignorar o sofrimento em outras regiões dos Estados Unidos.

Em declarações via satélite de Saint Louis (Missouri) à imprensa que cobre a convenção em St. Paul (Minnesota), McCain afirmou: "Este é um momento no qual temos que prescindir da política".

"Vamos suspender a maioria de nossas atividades, exceto aquelas que são absolutamente necessárias", anunciou o candidato republicano.

McCain falou depois que, junto a sua esposa, Cindy, e a candidata a vice-presidente, a governadora do Alasca, Sarah Palin, visitará Jackson (Mississippi) para supervisionar os preparativos de emergência para conter os efeitos do furacão.

Diante da gravidade da ameaça que representa a passagem de "Gustav" pelo Golfo do México, é preciso "tirar o uniforme de republicanos e colocar o uniforme de americanos", afirmou o candidato republicano.

O diretor de campanha de McCain, Rick Davis, afirmou em Saint Paul que o programa de amanhã se restringirá ao "estritamente necessário", de acordo com as normas do partido que estabelecem o processo para a nomeação do candidato."Não haverá discursos políticos", afirmou o diretor de campanha.Todos os atos serão considerados opcionais a partir desta segunda-feira às 17h30 [19h30 em Brasília]", afirmou.

A convenção começará no horário previsto, às 15h (17h em Brasília), mas, a partir das 17h30 (19h), a sessão será suspensa até novo aviso. O que ocorrerá depois fica no ar, à espera do que possa acontecer nos estados do Golfo do México.

Os organizadores da convenção decidirão "dia a dia" como proceder, explicou Davis.

A campanha de McCain ofereceu às delegações dos estados que podem ser afetados pelo furacão fretar aviões charter para levá-las a seus lugares de residência. A delegação da Louisiana aceitou e abandonará a convenção.

Além disso, Davis indicou que a campanha de McCain pedirá a todos os participantes do encontro que forneçam fundos para as possíveis vítimas do furacão.

Na segunda-feira, dentro dos atos considerados "indispensáveis", ficará a abertura formal da convenção e o estabelecimento do Comitê Nacional Republicano.

O único requisito que faltaria seria a nomeação oficial de McCain como candidato presidencial e de Sarah Palin, governadora do Alasca, como vice-presidente, em uma votação a viva voz.

O ato estava previsto para esta mesma segunda-feira, mas agora ocorrerá em um outro dia da convenção, que termina, a princípio, na quinta-feira.

O presidente americano, George W. Bush, e o vice-presidente, Dick Cheney, que deviam falar amanhã perante a convenção, anunciaram neste domingo que não compareceriam ao encontro para supervisionar as tarefas de emergência.

A Casa Branca informou que Bush, que poderia se dirigir em algum momento aos delegados da convenção via satélite, se deslocará amanhã ao Texas para visitar o centro de operações que coordena os trabalhos de emergência em resposta ao furacão "Gustav".

A esposa de Bush, Laura, irá a St. Paul e pode discursar perante a convenção em um momento dado.

Como responder ao possível desastre se transformou em um problema para os dois aspirantes à Casa Branca. Nem McCain nem o adversário democrata, Barack Obama, podem se permitir o luxo de parecer que não se importam muito, nem podem exagerar na preocupação.

Enquanto McCain ia ao Mississippi, Obama emitia um comunicado no qual expressava sua preocupação e oferecia os voluntários de sua campanha para participar das tarefas de ajuda.

O candidato democrata assegurou que se deslocará à área assim que o furacão tiver passado pelo estado, para não prejudicar as tarefas dos serviços de emergência.

  • Leia mais sobre: Gustav

    • Leia tudo sobre: euagustav

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG