Gustav atinge Cuba com ventos de 205 km/h - Mundo - iG" /

Furacão Gustav atinge Cuba com ventos de 205 km/h

(atualiza com Diário Oficial das 13h Brasília) Havana, 30 ago (EFE) - O furacão Gustav atingiu hoje Cuba com ventos de 205 km/h, quase chegando à categoria 4 da escala de intensidade Saffir-Simpson de 5, informou o Instituto de Meteorologia cubano. Mais de 200 mil pessoas foram evacuadas de zonas com risco de inundações ou deslizamentos de terra, sobretudo no litoral sul e no oeste do país. Ao meio-dia (13h Brasília), a área afetada por Gustav tinha um diâmetro de 520 quilômetros (a metade do tamanho da ilha), com o centro situado nos 21,3 graus de latitude norte e 81,3 de longitude oeste. O centro tem 60 quilômetros de diâmetro e está 45 quilômetros ao sudeste da Isla de la Juventud e 150 ao sul do povoado de Batabanó, na província de Havana. Continuará se deslocando com um rumo próximo ao noroeste nas próximas 12 a 24 horas, embora pudesse se dirigir em algumas ocasiões mais para o nor-nordeste, intensificando-se ainda mais antes de tocar solo cubano, onde pode chegar a -ou muito próximo da- categoria 4 (com ventos de mais de 209 km/h), alertou o Instituto. O último boletim adverte de que a zona de perigo iminente inclui a capital, Havana, cidade de 2,2 milhões de habitantes, e abrange desde a província central de Matanzas até Pinar del Río, no extremo oeste da ilha, onde foram evacuadas para áreas seguras cerca de 190 mil pessoas, segundo a imprensa oficial. Aproximadamente 1.200 turistas foram levados desde Cayo Largo del Sur para...

EFE |

Fontes do aeroporto José Martí de Havana informaram à Agência Efe que foram cancelados hoje todos os vôos nacionais e parte dos internacionais, especialmente os procedentes de outros países da América.

"Gustav" é o sétimo ciclone e o terceiro furacão de 2008 no Atlântico e sua passagem pela ilha se prolongará até a manhã do domingo, segundo o aviso.

A Defesa Civil mantém hoje em "alarme ciclônico" a capital e as quatro províncias do oeste da ilha.

O presidente cubano, Raúl Castro, se interessou pessoalmente pelas medidas de prevenção em Havana na sexta-feira, sobretudo em Pinar del Río, província que foi afetada por cerca de 150 ciclones nos últimos cem anos.

O Instituto anunciou que haverá "ressacas e inundações" nos setores central e oeste do litoral sul.

Na Isla de la Juventud, primeiro território cubano a ser afetado pelos ventos violentos, já são observadas ondas de quatro metros, segundo a imprensa local.

Já a tempestade tropical "Hanna", oitava de 2008, se movimenta em direção ao oeste, em frente à costa norte de Porto Rico, e as previsões indicam que também poderia afetar, nos próximos dias, o litoral norte de Cuba.

Na atual temporada de ciclones do Atlântico, que vai de junho a novembro, se formaram oito tempestades tropicais e três furacões.

EFE am/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG