Bill seguirá ganhando força nas águas do Atlântico - Mundo - iG" /

Furacão Bill seguirá ganhando força nas águas do Atlântico

Miami, 17 ago (EFE).- O furacão Bill, o primeiro da atual temporada de ciclones, continuará ganhando força nos próximos dias nas águas do Oceano Atlântico e com uma trajetória norte que não ameaça, até agora, nenhuma população, informou hoje o Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês) dos Estados Unidos.

EFE |

A ameaça mais iminente para as ilhas do Caribe, a depressão "Ana", está perdendo intensidade e inclusive pode desaparecer hoje mesmo, anunciou o NHC, em seu boletim das 9h de Brasília.

"Ana" se transformou em tempestade tropical no sábado e sua trajetória ameaçava alcançar Porto Rico, República Dominicana, Haiti e Cuba, mas, nas últimas 24 horas, seus ventos perderam força, até ficar hoje em 55 km/h.

A outra tempestade que se formou no domingo em frente ao litoral do noroeste da Flórida, "Claudette", também perdeu força hoje para depressão tropical após atingir terra, por isso deve se dissipar ao longo do dia.

O furacão "Bill" apresenta ventos de 120 km/h e o NHC prevê uma intensificação da velocidade nos próximos dois dias.

O centro de "Bill" estava perto da latitude 13,8 norte e longitude 44,0 oeste, a 1,87 mil quilômetros das Antilhas menores.

"Bill" se movimenta a 35 km/h em uma direção oés-noroeste e o NHC prevê que na quarta-feira se transforme em um furacão maior, de categoria dois ou três, ao superar 160 km/h na velocidade de seus ventos.

Segundo a trajetória prevista pelo NHC, o furacão "Bill" mantém uma trajetória noroeste e seu centro passaria ao leste das ilhas do Caribe na quinta-feira nas águas do Atlântico norte, com direção às ilhas Bermudas.

As três tempestades dos últimos dias - "Ana, "Bill", e "Claudette" - coincidem com o período de mais atividade, de meados de agosto até meados de setembro, da temporada de furacões.

A temporada de furacões no Atlântico - que começa em 1º de junho e termina em 30 de novembro - tinha registrado até esta semana muito pouca atividade, devido à presença do fenômeno do "El Niño" no Pacífico.

"El Niño" inibe a formação de furacões no Atlântico e tem o efeito contrário no Pacífico.

A Administração de Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA) dos EUA prevê para esta temporada a formação de entre 7 e 11 tempestades tropicais, de 3 a 6 furacões - incluindo um ou dois de categoria 3, 4 ou 5, as maiores na escala de intensidade Saffir-Simpson. EFE esc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG