Bill perde intensidade rumo ao Atlântico norte - Mundo - iG" /

Furacão Bill perde intensidade rumo ao Atlântico norte

Miami, 21 ago (EFE).- O Bill, um furacão de categoria 3 na escala de intensidade de Saffir-Simpson, permanece hoje menos organizado e perdeu intensidade em seu caminho para o Atlântico norte, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês) dos Estados Unidos.

EFE |

O NHC indicou, em seu boletim das 9h de Brasília de hoje, que "Bill" perdeu intensidade ao reduzir a velocidade de seus ventos de 205 km/h para 185 km/h, e mostra sinais de desorganização.

Os meteorologistas preveem que o olho do ciclone passará amanhã por águas abertas entre as ilhas Bermudas e a costa leste dos Estados Unidos.

No entanto, o NHC, com sede em Miami, advertiu que "Bill" poderia ganhar força ligeiramente hoje, antes de começar a enfraquecer, a partir de sábado.

O olho de "Bill" estava situado a essa hora perto da latitude 26,8 graus norte e da longitude 65,8 graus oeste, 620 quilômetros ao sul de Bermudas e 1,32 mil quilômetros ao sudeste de Cabo Hatteras, na Carolina do Norte.

"Bill" se movimenta com uma velocidade de translação de 28 km/h e deve fazer um giro gradual para o nor-noroeste esta noite e, no sábado, para o norte.

Os meteorologistas do NHC indicaram que o furacão "Bill" pode causar ressacas e inundações no litoral de Bermudas nos próximos dois dias.

Além disso, a ressaca pode afetar Porto Rico, Haiti, República Dominicana, Bahamas e a costa leste dos Estados Unidos. Nova Inglaterra e Canadá devem observar com atenção a trajetória e desenvolvimento do furacão, advertiu o NHC.

A temporada de furacões no Atlântico - que começa em 1º de junho e termina em 30 de novembro - tinha registrado até a semana passada muito pouca atividade, devido à presença do fenômeno "El Niño" no Pacífico.

O fenômeno do "El Niño" inibe a formação de furacões no Atlântico e tem o efeito contrário no Pacífico.

Até agora, houve a formação de três tempestades tropicais - "Ana", "Bill" e "Claudette" - das quais a segunda se transformou no primeiro furacão da temporada na bacia atlântica.

A Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA) dos EUA prevê para esta temporada a formação de entre 7 e 11 tempestades tropicais, de 3 a 6 furacões. Destes últimos, um ou dois poderiam ser de categoria 3, 4 ou 5, as maiores na escala de intensidade Saffir-Simpson. EFE emi/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG