Furacão Paloma perde força em Cuba e está na categoria 1

MIAMI - O furacão Paloma, que atravessa Cuba neste domingo, continua perdendo força na parte central e leste da ilha, e já passou a ser um fenômeno de categoria um na escala Saffir-Simpson, que vai até cinco.

Redação com agências internacionais |

Segundo o boletim das 7h (horário de Brasília) do Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês) de Miami, o centro do furacão está cerca de 45 quilômetros ao lés-sueste de Camagüey e continuará enfraquecendo ao longo do dia.

O olho do furacão Paloma tocou a terra no litoral sul de Cuba, perto de Santa Cruz do Sul, na noite deste sábado, como um ciclone de categoria três e com ventos de 195 km/h.

Antes da chegada do furacão, o governo de Cuba retirou dezenas de milhares de pessoas das áreas costeiras mais baixas no leste do país. Todas as províncias centrais e do leste de Cuba foram colocadas sob alerta de furacões.

Ilhas Cayman

O Paloma já causou chuvas torrenciais e aumento das ondas nas ilhas Cayman, onde escolas, escritórios e empresas foram fechados e algumas pessoas foram levadas para abrigos. Ocorreram danos a propriedades, mas não há informações de feridos.

Paloma é a 16ª tempestade a atingir o Atlântico nesta temporada do fenômeno e a 8ª a se converter em um furacão, tendo trazido fortes chuvas a partes de Honduras e Nicarágua, na América Central.

Em Cuba, o furacão foi o quinto desta temporada. Gustav e Ike, que atingiram o país em 30 de agosto e 9 de setembro, respectivamente, causaram danos da ordem de bilhões de dólares e destruíram milhares de casas.

Com informações da EFE e da BBC Brasil

    Leia tudo sobre: furacão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG