Furacão Ike deve custar no máximo 12 bilhões de dólares aos cofres públicos

O furacão Ike, que devastou as costas do Texas no fim de semana passado, causou no máximo 12 bilhões de dólares de danos, segundo a empresa privada Eqecat, que previa anteriormente um máximo de 18 bilhões de dólares.

AFP |

Entretanto, esta quantia envolve apenas os danos "terrestres", destacou a Eqecat, avaliando em 4 a 6 bilhões de dólares os danos provocados pelo furacão nas instalações petrolíferas off-shore.

Estas estimativas se referem apenas aos bens assegurados, como as instalações industriais, os armazéns e as residências de particulares, e às perdas de produção decorrentes da passagem do furacão. Ao contrário, os danos provocados pelas inundações e contra os automóveis não foram levados em conta nos cálculos da Eqecat.

"Os danos foram limitados às zonas costeiras, e foram menos importantes que o previsto", afirmou a Eqecat.

O centro da Nasa em Houston não sofreu graves danos, destacou a companhia.

Os custos dos danos provocados pelo Ike nas plataformas off-shore se devem principalmente à interrupção da produção (2,5 a 4 bilhões de dólares), mas também a danos materiais (1,5 a 2 bilhões de dólares).

Pelo menos 52 pessoas morreram nos Estados Unidos durante a passagem do furacão Ike, entre os dias 12 e 15 de setembro.

gmo/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG