Furacão Hanna mata pelo menos 26 pessoas no Haiti

Oito dias depois do arrasador Gustav e duas semanas depois da mortífera tempestade Fay, o Haiti foi devastado pelo furacão Hanna, que deixou pelo menos 26 mortos, segundo um balanço divulgado nesta quarta-feira.

Redação com agências internacionais |

No noroeste do Haiti, a cidade de Gonaives, de cerca de 300.000 habitantes, foi totalmente inundada durante a passagem do furacão, na segunda-feira.

Sete pessoas morreram na noite de terça-feira no desabamento do teto da casa onde tinham se refugiado, levando a 19 o número de mortos em Gonaives. Nesta cidade localizada 152 km ao norte de Porto Príncipe, o nível das águas chegou a ultrapassar os três metros.


Passagem do Hanna no Haiti causou enchentes em diversas regiões / AP

Hanna também deixou pelo menos sete mortos no sul do Haiti, onde várias aldeias foram inundadas.

O balanço atual de 26 mortos ainda pode aumentar, alertou Youdeline Joseph, uma representante local da Proteção Civil. "Ainda não podemos estabelecer um balanço, mas acredito que há muitos mortos", declarou Youdeline Joseph nesta quarta-feira, destacando que dezenas de milhares de pessoas foram diretamente afetadas pela passagem do furacão.

"Vi uma dezena de corpos boiando nas ruas inundadas na cidade", relatou terça-feira o delegado de polícia Ernst Dorfeuille. "É impossível circular na cidade, pois todos os bairros estão alagados", afirmou.

Temporada de furacões

Ainda traumatizados pela tempestade tropical Jeanne, que deixou 3.000 mortos há quatro anos, os moradores de Gonaives vivem no temor de que esta tragédia se repita.

Há oito dias, o furacão Gustav deixou 77 mortos em sua passagem pelo Haiti. A tempestade Fay, por sua vez, provocou a morte de cerca de 40 pessoas há duas semanas.

Hanna era um furacão de categoria 1 quando passou pelo Haiti, o país mais pobre das Américas com 70% da população vivendo abaixo da linha de pobreza, mas foi rebaixado terça-feira para tempestade tropical ao se dirigir para Bahamas.

No entanto, Hanna ainda pode se transformar em furacão daqui a quinta-feira antes de atingir as costas americanas no sábado, segundo o Centro Nacional dos Furacões, com sede em Miami (Flórida, sudeste dos EUA).

Leia mais sobre Hanna

* Com AFP

    Leia tudo sobre: hanna

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG