Furacão Hanna deixou parte de cidade submersa no Haiti, diz testemunha

O Haiti sofre as conseqüências do furacão Hanna, uma semana depois da passagem do furacão Gustav, que matou mais de 70 pessoas na região. Hanna, que passou de furacão a tempestade tropical entre segunda e esta terça-feira, causou inundações em áreas no norte do país e, segundo a polícia local, matou pelo menos dez pessoas na cidade de Gonaives.

BBC Brasil |

Harold Paul, representante da ONG Christian Aid no país, vem organizando a distribuição de ajuda humanitária. Ele recebeu notícia de que boa parte de Gonaives, no noroeste do país, está submersa.

"Depois que o furacão Gustav veio na terça-feira passada, o solo ficou saturado, então só precisa de uns poucos centímetros de água para causar inundação generalizada", afirmou.

"Há pessoas presas em seus telhados em Gonaives, pois Hanna provocou enchentes em que o nível de água chegou a três metros em poucas horas."
"O governo está negociando com a Minustah, a força de paz das Nações Unidas, para obter helicópteros e levar as pessoas por via aérea para lugares seguros."
Gustav matou mais de 70 pessoas ao passar pela região, e Paul receia que agora o número de vítimas pode ser maior. "Nós ainda estamos nos recuperando. Agora estamos com uma outra emergência que pode ser muito mais séria (...) O número de mortos com Hanna pode chegar a centenas."
Telefone celular
"Não há como entrar ou sair de Gonaives a não ser por via aérea, e as pessoas não podem sobreviver por muito tempo em seus telhados. Por sorte, os telefones celulares ainda estão funcionando e esta é a única forma de contactarmos as pessoas no norte", disse Paul.

"Gonaives fica no nível do mar, então é muito vulnerável. As pessoas dizem que já não se vê mais a orla pois a maior parte da cidade está submersa", afirmou o funcionário da ONG.

Ele lembra que em 2004, mais de 3 mil pessoas morreram em Gonaives e imediações, quando a tempestade tropical Jeanne passou.

"No momento, eu temo que as águas subam mais em Gonaives num futuro próximo, porque há três rios que convergem para a cidade. Se eles transbordarem, mais água vai chegar ao vale."
Deslizamentos
"O Haiti é especialmente vulnerável a deslizamentos de terra, que podem soterrar comunidades inteiras", disse Harold Paul.

Ele explica que 98% das florestas do Haiti foram derrubadas, deixando poucas defesas naturais contra deslizamentos.

"O uso de árvores para fazer carvão e vender é o último recurso para muitos hatianos na zona rural, que não têm outra fonte de renda entre colheitas."
Hanna pegou os haitianos de surpresa, disse Harold Paul.

"Não se esperava que Hanna atingisse o Haiti, então as pessoas não tinham sido advertidas para evacuação. Quando ficou claro que havia perigo, já era tarde demais para fugir."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG