Furacão Gustav deixa cinco mortos no Haiti

O furacão Gustav atingiu nesta terça-feira o litoral sudoeste do Haiti com ventos de até 150 km/h e chuvas torrenciais, matando pelo menos cinco pessoas e ferindo outras sete, informaram as autoridades locais e o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês), com sede em Miami.

AFP |

"Duas pessoas morreram no sudeste no desabamento de suas casas, outra faleceu em circunstâncias ainda não esclarecidas", disse à AFP Alta Jean-Baptiste, diretora da Defesa Civil haitiana.

Outras duas pessoas faleceram e sete ficaram feridas gravemente na explosão de uma casa, que pode estar ligada à passagem do furacão. Doze pessoas moravam no local, onde havia gasolina estocada, revelou Jean Michel Sabbat, responsável local da Defesa Civil.

Segundo Sabbat, Gustav destruiu várias casas, arrancou telhados e derrubou postes elétricos.

O Centro Nacional de Furacões informou que "Gustav tocou a terra no sudoeste da península haitiana, 16 km a oeste da localidade de Jacmel, depois das 17H00 GMT (14H00 Brasília)".

Às 21H00 GMT (18H00 Brasília), o centro do furacão estava a 95 km a sudoeste de Porto Príncipe e a 290 km a sudeste de Guantánamo (Cuba), segundo o NHC.

O furacão, de categoria 1 na escala Saffir-Simpson, que tem cinco níveis, avança na direção oeste-noroeste a uma velocidade de 17 km/h, com ventos que caíram para 120 km/h sobre terra firme.

Segundo o NHC, se mantiver a atual trajetória Gustav ameaçará Cuba e Jamaica, nos próximos dias.

O governo do Haiti, onde escolas e lojas ficaram fechadas hoje, fez um apelo à ajuda internacional e decretou "mobilização geral", pedindo à população que tome todas as medidas de proteção possíveis.

Na República Dominicana, cerca de 4.600 pessoas foram evacuadas devido às fortes chuvas e aos ventos violentos, informaram nesta terça-feira as autoridades, sem mencionar vítimas ou danos materiais.

Pouco menos de 2.000 pessoas evacuadas foram acolhidas em edifícios públicos, e as demais foram para a casa de conhecidos, destacou Juan Manuel Mendez, diretor do Centro das Operações de Emergência (COE).

De acordo com o NHC, Gustav chegará a Cuba na quarta-feira, passando pelas províncias de Las Tunas, Holguin, Granma, Santiago de Cuba e Guantánamo.

Além disso, as ameaças de perturbação da produção de petróleo no Golfo do México, onde Gustav deve chegar neste fim de semana, provocaram uma disparada dos preços do produto.

O Haiti já foi duramente abalado, há menos de duas semanas, pela passagem da tempestade tropical Fay, que deixou pelo menos sete mortos. Cerca de 40 passageiros de um ônibus que caiu em um rio ainda estão desaparecidos.

Gustav, que se formou segunda-feira no mar do Caribe, é a sétima tempestade tropical da temporada 2008.



    Leia tudo sobre: gustav

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG