Furacão deixa rastro de destruição no Caribe e ameaça EUA

Irene segue em direção ao Haiti, onde agências humanitárias fazem estoque de comida e remédios

iG São Paulo |

Reuters
Equipes retiram árvores de estrada em Loiza, Porto Rico (22/08)

Autoridades dos Estados Unidos alertaram nesta terça-feira para a ameaça representada pelo furacão Irene, que já deixou um rastro de destruição em Porto Rico e República Dominicana. Segundo metereologistas, o Irene deve ganhar força nos próximos dias e atingir o sudeste dos EUA no fim de semana com ventos entre 178 km/h e 211 km/h.

No momento, o furacão está na categoria 2, mas pode atingir as categorias 3 ou 4 quando chegar aos EUA. Segundo previsões, o Irene poderia atingir os Estados da Flórida, Geórgia, Carolina do Norte e Carolina do Sul. É o primeiro furacão a representar uma ameaça séria ao país desde o Ike, que atingiu o Texas em 2008.

O Irene se movimenta de oeste para nordeste e está a cerca de 90 km ao norte de Puerto Plata, na República Dominicana. Nesta terça-feira, deve atingir as Bahamas e o Haiti, onde agências humanitárias da ONU já se preparam para possíveis enchentes e deslizamentos.

Funcionários estão fazendo estoques de comida, remédios e outros materiais para ajudar a população do país, onde centenas de milhares vivem em barracas desde o terremoto de 2010. O país é particularmente vulnerável a fortes chuvas, e em junho, mais de 20 pessoas foram mortas por enchentes e deslizamentos de terras.

Na segunda-feira, a passagem do Irene por Porto Rico causou a derrubada de árvores e cortes de energia que afetaram mais de um milhão de pessoas. O presidente dos EUA, Barack Obama, declarou estado de emergência no país.

Em seguida, o furacão seguiu para a República Dominicana, onde fortes tempestades deixaram centenas de desabrigados e também provocaram cortes de energia.

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: haitieuafuracãoirenerepública dominicanaporto rico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG