Furacão da categoria 4 ameaça o noroeste dos EUA

Por Susy Buchanan LOS CABOS, México (Reuters) - O furacão Jimena, que está na perigosa categoria 4 (numa escala até 5), ameaça chegar na terça-feira a balneários da península da Baixa Califórnia, no noroeste do México, segundo o Centro Nacional de Furacões (CNF) dos EUA.

Reuters |

Jimena ocupa uma área relativamente pequena, mas se intensificou rapidamente desde que se formou, na madrugada de sábado. Ele tem ventos regulares de 230 quilômetros por hora e rajadas ainda mais fortes. O governo mexicano colocou o sul da Baixa Califórnia em alerta durante um período de 36 horas.

Os furacões da categoria 4 na escala Saffir-Simpson são considerados "extremamente perigosos" e podem provocar enormes prejuízos se alcançarem a terra.

O CNF aconselhou as populações do oeste do México a acompanharem a situação, já que novos alertas podem ser emitidos durante a segunda-feira.

Por enquanto, o Jimena está longe da costa, mas ainda deve ganhar fôlego, passando pelo sofisticado balneário de Los Cabos na terça-feira, quando a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) deveria realizar um encontro para discutir a questão dos paraísos fiscais. Ainda não se sabe se o encontro será mantido.

Até o anoitecer de domingo, o tempo na Baixa Califórnia era bom, com uma suave brisa. Mesmo assim, norte-americanos que vivem em Los Cabos começaram a estocar mantimentos e a comprar gasolina para seus carros e geradores. Alguns turistas disseram que pretendiam abreviar suas férias.

"Estou um pouco nervosa com este, porque meu marido está fora e será o (meu) primeiro furacão sozinha", disse Christy Dobson, que é de Oklahoma e há 11 anos vive em Los Cabos. Junto com duas filhas pequenas, ela comprava água e alimentos não-perecíveis em um supermercado.

A Baixa Califórnia é uma região desértica, pouco populosa, mas balneários como Los Cabos e La Paz atraem muitos turistas, especialmente dos EUA. A Defesa Civil local disse estar fazendo preparativos para o furacão.

No último boletim do CNF, o olho do Jimena estava 395 quilômetros a sudoeste de Cabo Corrientes, que fica perto de Puerto Vallarta, e 635 quilômetros a sul-sudoeste do Cabo San Lucas, também no México. Deslocava-se a noroeste, mais ou menos paralelo à costa, a 13 quilômetros por hora. Ventos com força de furacão se estendiam num raio de 45 quilômetros.

O México não tem instalações petrolíferas no Pacífico, e por enquanto os portos da região continuam abertos.

Em junho, outro furacão no Pacífico atingiu a localidade de Acapulco, no sul do México, matando um pescador.

Também no domingo outra tempestade tropical ganhou força no Pacífico, cerca de 1.430 quilômetros a oeste de Los Cabos. A previsão, no entanto, é que a tempestade Kevin perca força nos próximos dois dias.

(Reportagem adicional Catherine Bremer e Adriana Barrera em Cidade do México)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG