Furacão Bill ganha mais força e passa à categoria 4

O furacão Bill, primeiro da temporada de 2009 no Atlântico, ganhou força e passou nesta quarta-feira para a perigosa categoria 4, com ventos regulares de até 215 quilômetros por hora, segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA.

Reuters |

Autoridades das Bermudas, território britânico no Atlântico, alertaram a população a se precaver. Não há, no entanto, risco para as instalações de gás e petróleo do Golfo do México, onde os EUA produzem um quarto do seu petróleo e 15 por cento do seu gás natural.

Reuters
Furacão Bill visto em imagem de satélite; no canto direito, mapa de referência

Às 6h (hora de Brasília), o olho do furacão estava 740 quilômetros a leste das ilhas Sotavento, deslocando-se no sentido oeste-noroeste a 26 quilômetros por hora.

"O núcleo deste perigoso furacão passará bem a nordeste do norte das ilhas Sotavento na noite de hoje ou na madrugada de quinta-feira", disse nota do CNF.

A tempestade, cujos ventos se estendem por um raio de 72 quilômetros, ainda deve crescer nas próximas 24 horas, além de fazer uma curva a noroeste, segundo a nota.

Furacões a partir da categoria 3 na escala Saffir-Simpson (que vai até 5) são considerados "importantes", e têm grande potencial destrutivo.

Tempestade Ana

Os mercados energéticos também acompanham com apreensão os restos da tempestade tropical Ana, que ainda produz chuvas fortes sobre Haiti, Cuba e Bahamas. De acordo com o CNF, há uma chance inferior a 30 por cento de que ela volte a se tornar um ciclone tropical nas próximas 48 horas.

O instituto de meteorologia AccuWeather disse ser improvável, mas possível, que o sistema se regenere sobre o leste do Golfo do México no final da semana. Alguns meteorologistas notaram que a tempestade Ana já se regenerou uma vez.

O especialista em furacões Jeff Masters, fundador do site Weather Underground, previu que o furacão Bill irá passar entre Bermudas e a Costa Leste dos EUA, em direção à costa do Canadá.

"Acho que o provável impacto (nos EUA) será a erosão de praias e ondas costeiras", disse ele. "Impactos diretos são improváveis."

Ao chegar à Carolina do Norte, o sistema encontrará águas frias que retirarão sua força, mas ele deve se aproximar da Nova Scotia e de Newfoundland (Canadá) ainda como um furacão da categoria 1, segundo Masters.

Leia mais sobre: Furacão Bill

    Leia tudo sobre: euafuracãotempestade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG