Funes confirma visita de Zelaya mas diz que desconhecia seu destino

San Salvador, 21 set (EFE).- O presidente de El Salvador, Mauricio Funes, confirmou hoje a visita neste domingo do líder deposto de Honduras, Manuel Zelaya, mas indicou que desconhecia que se dirigia a seu país, onde permanece na embaixada do Brasil.

EFE |

"Nem ele (Zelaya) nem seu chanceler (Patricia Rodas) não fez qualquer solicitação como Governo mais que a de permissão para aterrissar, isso é o único que fizemos", declarou Funes em entrevista coletiva, ao ser consultado sobre a chegada do governante deposto.

"Por que não (anunciou oficialmente sua visita)? Isso quem terá que explicar será ele. Com que propósito fez escala aqui para ir a Honduras? Também quem terá que explicar será ele", acrescentou.

Funes assegurou que não se reuniu com Zelaya durante sua estadia no aeroporto internacional El Salvador, mas que este se reuniu com dirigentes da Frente Farabundo Martí para a liberação Nacional (FMLN), o partido do Governo.

"Eu falo e posso dar conta do que corresponde a meu Governo: não houve nenhuma solicitação expressa do presidente Zelaya nem de seu chanceler a sustentar uma reunião com este servidor e, portanto, o tomo como uma visita de passagem, como uma escala técnica que devem de fazer para depois ir a outro destino, neste caso a Honduras", disse.

Não descartou que o encontro com o FMLN estivesse relacionado com um ato pró Zelaya que essa força política organiza para no próximo dia 28 de setembro, e esclareceu que se trata de um respaldo "como partido político, não como Governo".

O chefe de Estado considerou, por outra parte, que não existe nenhuma "irregularidade" na chegada de Zelaya ao país e no fato de que não se encontrasse com ele.

Zelaya, que foi deposto em 28 de junho e tirado do país para a Costa Rica, se reuniu com Funes em El Salvador em 3 de julho.

Voltou a território salvadorenho em 5 de julho para encontrar-se com os líderes da Argentina, Cristina Fernández, e do Equador, Rafael Correa, assim como com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, depois que falhasse em uma tentativa de aterrissar em Tegucigalpa. EFE lb/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG