Funeral grandioso para irmã do rei da Tailândia falecida em janeiro

Mais de 100.000 tailandeses vestidos de negro se reuniram neste sábado em Bangcoc para cerimônias grandiosas de cremação da irmã mais velha do rei, que morreu em janeiro, um acontecimento que pretende simbolizar a unidade da nação, no momento de uma grande crise política.

AFP |

O príncipe herdeiro Maha Vajiralongkorn, 56 anos, e sua irmã, a princesa Maha Chakri Sirindhor, 53, encabeçaram uma procissão com mais de 2.000 soldados, acompanhados por líderes budistas que recitavam orações.

A monarquia e a família real continuma ocupando um lugar importante na Tailândia, apesar do rei Bhumibol Adulyadej, 80 anos, não ter oficialmente nenhum papel político importante.

A irmã mais velha do monarca, a princesa Galyani, faleceu em 2 de janeiro, vítima de um câncer abdominal aos 84 anos.

O corpo foi embalsamado e conservado durante mais de 10 meses no Grande Palácio. Neste período foi construído um pavilhão crematório com uma pira no centro, uma torre de quase 40 metros. O Estado tailandês gastou 8,4 milhões de dólares no funeral.

A urna funerária foi elaborada com ouro e pedras preciosas.

Todos os canais de televisão exibiram as cerimônias ao vivo. A polícia calculou em 100.000 pessoas a multidão presente.

O último funeral real no país acontecera em 1996, em homenagem à mãe do rei.

As cerimônias em memória da princesa Galyani foram organizadas no momento em que muitos tailandeses temem a morte de Bhumibol, adorado no país e considerado o símbolo da unidade da Tailândia.

Bhumibol, o soberano em exercício há mais tempo no mundo, subiu ao trono em 1946. Em 62 anos viu 23 primeiros-ministros à frente do país e 18 golpes de Estado. No entanto, como um monarca constitucional ficou acima dos eventos e poucas vezes interferiu publicamente na vida política.

str-tp/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG